16/11/2016

PIT ALIMENTOS - PROGRAMA DE INCLUSÃO TECNOLÓGICA PARA MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS E AGROINDÚSTRIAS DE ALIMENTOS E BEBIDAS DA REGIÃO DE CAMPINAS

O Agropolo Campinas – Brasil está fundamentado no conceito da “inovação colaborativa” como uma nova estratégia para promover pesquisa, desenvolvimento e inovações tecnológicas de produtos e serviços, articulando os esforços dos Centros Geradores de Conhecimento e das Empresas Privadas, de modo a oferecer para a sociedade rápidos e seguros avanços no desenvolvimento de produtos.

O Agropolo Campinas tem como objetivo desenvolver Projetos de Cooperação Técnica (PCTs) em Agricultura, Alimentos, Saúde, Bioenergia e Química Verde com Sustentabilidade e preservando a biodiversidade. Visa integrar a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação tecnológica, catalizados pelas parcerias público-privadas entre as universidades, centros & institutos de pesquisa, a iniciativa privada e os governos municipais, estaduais e federais (www.agropolocampinasbrasil.org).

Participam deste projeto o Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Agricultura e Abastecimento e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, o Instituto Agronômico - IAC, UNICAMP, o Instituto de Tecnologia de Alimentos – ITAL, o Instituto Biológico – IB, EMBRAPA, TechnoPark, a Prefeitura Municipal de Campinas – PMC, Consulado da França em SP, com o apoio da FAPESP e do BE-Basic.

Dentre as principais atividades do Agropolo Campinas – Brasil estão o Projeto de Políticas Públicas Agropolo Bioeconomia (PPPBio), financiado pela FAPESP, com a criação de um roadmap das áreas estratégicas de pesquisa visando a criação de um ecossistema de classe mundial em bioeconomia através de uma série de workshops, a serem realizadas visando desenvolver diferentes setores da bioeconomia produzindo riqueza para a região e o país e o PIT ALIMENTOS – Programa de Inclusão Tecnológica para Micro e Pequenas Indústrias e Agroindústrias de Alimentos e Bebidas da Região Metropolitana de Campinas.

O PIT ALIMENTOS foi criado por um grupo de entidades entre elas a Prefeitura Municipal de Campinas (PMC) e a Câmara Municipal de Campinas (CMC) com o apoio técnico de 10 instituições: a Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI/SAA), o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (Agência INOVA Paula Souza), o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP-Campinas), a Federação da Agricultura do Estado de São Paulo/Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (FAESP/SENAR), o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL/SAA), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (SEBRAE-Campinas), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-Campinas) e o Sindicato Rural de Campinas (SRC), com o objetivo de proporcionar o desenvolvimento das Micro e Pequenas Indústrias e Agroindústrias de Alimentos e Bebidas da Região Metropolitana de Campinas.

Os objetivos estratégicos do PIT ALIMENTOS são:

Trabalhar para o aumento da competitividade;

Promover a integração entre as PARTES;

Difundir e auxiliar no acesso aos principais instrumentos de apoio;

Promover ações para a agregação de valor à produção rural, de forma sustentável;

Prover a capacitação gerencial e acesso às soluções e inovações tecnológicas;

Incentivar a cultura da inovação.

Este Projeto Piloto da Região Metropolitana de Campinas tem também como objetivo estabelecer uma sistemática a ser utilizado no Estado de São Paulo, que segundo o SEADE contava em 2012 com 12.990 empresas de alimentos e bebidas, sendo 95,1% com até 99 funcionários (pequeno porte), 3,4% de 100 a 499 funcionários (médio porte) e 1,5% de 500 ou mais funcionários (grande porte).

Dentre as principais atividades do Programa PIT ALIMENTOS, vale salientar:

Identificar, agrupar e diagnosticar Micro e Pequenas Indústrias e Agroindústrias de Alimentos e Bebidas; 

Avaliação das principais demandas do setor;

Assessorias Tecnológicas;

Serviços Técnicos (listar os tipos de serviços técnicos por Instituição);

Desenvolvimento de produtos e processos;

Auxilio na elaboração de projetos para submissão a agências de fomento;

Incentivo ao produtor rural na agregação de valor; 

Realização de Eventos;

Capacitação em Gestão Empresarial;

Apoio no processo de comercialização e exportação.

A integração das 10 Instituições participantes com o poio da PMC e Câmara dos Vereadores de Campinas dará início a um processo inédito para o desenvolvimento das micro e pequenas indústrias e agroindústrias de alimentos e bebidas da região, visando a geração de emprego e renda e o desenvolvimento de produtos alimentícios e bebidas inovadores e com maior agregação de valor.